domingo, 22 de maio de 2016

'A minha liberdade custou sangue'


Vejam que beleza de canto.

Não é o canto dos ​que bateram panelas de suas varandas gourmet e saíram às ruas vestindo verde e amarelo em manifestações organizadas por fascistas, homofóbicos, misóginos e corruptos – amplamente divulgadas e promovidas pela Globo –, bradando "somos todos ​Cunha".

É, sim, o canto daqueles que amam o Brasil e são, de fato, contra a corrupção.

A
produtora Roda Mundo, da atriz Ana Petta e de Paulo Celestino realizaram o vídeo com a participação de atores e mestres do samba, entre eles Nelson Sargento e Seu Dadinho. O vídeo foi produzido nas capitais paulista e fluminense e traz, entre outros nomes, Moacyr Luz, Herminio Belo de Carvalho, Ney Lopes, Wilson Moreira, José Trajano, Carlinhos Vergueiro, Leci Brandão e Railídia Carvalho, cantora de samba e repórter do Vermelho.

A canção denuncia o golpe e exalta a coragem e a valentia do povo brasileiro que está pronto para resistir uma vez mais para barrar este atentado contra a democracia.

E veio o golpe, e um governo ilegítimo em menos de 24 toma de assalto muitas de nossas conquistas, fim do Ministério da Cultura, do Ministério das Mulheres, e da Igualdade Racial. Quem tem medo da liberdade detesta a democracia”, denuncia.

A minha liberdade custou sangue, tantas lágrimas, a força, o filho, a sorte, viu a morte já esquálida. Mas seguiu juntando os pedaços de novo, prenhou-se de fé e pro povo pariu democracia”, diz a canção composta por Arthur Tirone, Bruno Ribeiro, Douglas Germano e Fernando Szegeri

video





Nenhum comentário:

Postar um comentário